COMPLIANCE DA NISSAN EVITOU QUE A CRISE FOSSE AINDA MAIOR

O caso do brasileiro Carlos Ghosn, ex-presidente das montadoras Renault e Nissan, recentemente preso no Japão, revela a importância do Compliance na prevenção e detecção de desconformidades e até em práticas criminosas.

Não podemos afirmar absolutamente nada sobre a culpa do executivo, não obstante, já sabemos que foi o departamento de Compliance da Nissan que detectou o vício de integridade.

O fato é que além de demitido, o brasileiro Carlos Ghosn se encontra preso no Japão, acusado de irregularidades na gestão.

A Nissan “cortou na própria carne”, mas evitou que o prejuízo fosse maior, além de dar claro sinal ao mundo de que o seu sistema de Compliance é efetivo.

Saiba mais acessando a matéria da revista Época:

https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2018/11/ghosn-cometeu-claras-violacoes-de-conduta-diz-nissan-ao-anunciar-demissao.html



Deixe uma resposta