O MENOSCABO COM AS REGRAS DE INTEGRIDADE PODEM CUSTAR CARO ATÉ AO PRÊMIO NOBEL

Escândalos na Academia Sueca ameaçam a higidez reputacional do mais importante prêmio do mundo.

Esse fato revela que o Compliance se tornou mandatório às instituições públicas e privadas, com ou sem fins lucrativos, pois, para além do prejuízo patrimonial, a desconstrução da imagem pode significar o fim de qualquer atividade ou corporação.

“Renúncia de três membros em meio a alegações de corrupção, assédio sexual e quebra de confidencialidade põem em risco instituição responsável por renomado prêmio.

Dos 18 assentos do grêmio, apenas 13 seguem ocupados.”I’m leaving the table, I’m out of the game” (“Estou deixando a mesa, estou fora do jogo”).

Foi com tais palavras do cantor e compositor Leonard Cohen que o escritor Klas Östergren se despediu, na semana passada, da Academia Sueca, que todos os anos concede o mais cobiçado prêmio literário do mundo.

O problema é que outros dois membros do grêmio, Kjell Espmark e Peter Englund, fizeram o mesmo, colocando a capacidade de atuação do órgão em risco.

Dos 18 assentos da academia, apenas 13 continuam ocupados. Há alguns anos, outros dois membros já haviam se retirado devido a disputas internas.

Outra integrante, a autora Sara Stridsberg, disse no final de semana que também considera parar de frequentar as sessões da instituição. Isso significaria que a academia, com seus 12 membros ativos restantes, não teria mais quórum para funcionar.”

IBC é Compliance!

Fonte: Portal Terra

 



Deixe uma resposta