Odebrecht tinha sistema ‘anti-compliance’ para facilitar pagamentos ilícitos, diz Lava Jato

Criar um “anti-Compliance” reafirma o valor do Compliance como instrumento de consecução das boas práticas.

IBC é Compliance!

Entre os supostos serviços dentro de um setor profissionalmente organizado para o pagamento de vantagens indevidas na Odebrecht, como explicado pelo blog na nota anterior, havia “a comunicação secreta entre executivos, funcionários da [empresa] e doleiros responsáveis por movimentar os recursos espúrios”.

As informações são do Ministério Público Federal. Segundo o MPF, a comunicação era realizada por programa a parte, no qual todos os envolvidos “se comunicavam por meio de codinomes”. Segundo investigadores, o sistema ilícito foi montado no Setor de Operações Estruturadas da empreiteira.

Na opinião de procuradores ouvidos pelo Blog, o mais impressionante desta fase é que a Odebrecht montou este sistema, apelidado de “compliance às avessas” ou “anti-compliance”, e que funcionava no setor com o intuito de fazer pagamentos ilegais para pessoas, inclusive funcionários públicos.

No âmbito corporativo, o compliance é o conjunto de normas e regulamentos para evitar, desvios de função, como pagamentos de vantagens ilícitas a servidores.

Os investigadores também afirmam que as informações da Operação Xepa potencializam as apurações para outras áreas porque eles descobriram pagamentos ilegais em diversas obras, inclusive fora do escopo da Petrobras.

Como informado pelo Blog, a 26ª fase da Operação é um desdobramento da Acarajé, realizada há apenas um mês, etapa mais bem sucedida na coleta de provas com o cumprimento de ordens judiciais. A Odebrecht ainda não se manifestou sobre a Operação deflagrada nesta terça (22).

Fonte: G1



Deixe uma resposta